Assalto ostentação com BMW Z4 em São Paulo
30 de julho de 2015
Azimut do Brasil completa 5 anos e lança iate de luxo
30 de julho de 2015

TOP TEST: Smart fortwo é pequeno, mas seu motor surpreende

Pequeno, sim, é verdade. Mas com um coração… Dizem que a formiga tem aquele tamanho, mas, no entanto, tem uma força de trabalho sem igual. Assim é o smart fortwo Turbo Coupé, comercializado no Brasil pela Mercedes-Benz pelo preço de R$ 68.500. Só que, convenhamos, seus passos estão muito além de serem de formiguinha.

Compacto é equipado com rodas de liga leve de 15 polegadas; Seu motor 1.0 turbo, de 3 cilindros e 84 cv a 5.250 rpm nem seria considerado assim tão poderoso em um sedã, mas, para um compacto de apenas 2,69 metros de comprimento, 1,55 m de largura e 1,54 m de altura, a sensação é de que ele é muito forte. Seu peso leve, 770 kg, ajuda muito a ter esta impressão, já que o esforço que o trem de força precisa fazer é muito menor do que quando necessita fazer funcionar um veículo mais pesado.

Smart Turbo Coupé pesa apenas 770 kg e seu tanque tem capacidade de 33, Seu torque de 12,23 kgfm a 3.250 rpm oferece ao carro fôlego para chegar à velocidade máxima de 145 km/h facilmente. É só pisar no acelerador e o carro mostra uma vontade impulsiva de trabalhar. Segundo a montadora, ele é capaz de alcançar os 100 km/h, saindo da imobilidade, em 10,7 segundos.

O smart Turbo Coupé tem transmissão automotizada de cinco velocidades, com opções de trocas manuais no próprio câmbio e em borboletas atrás do volante (paddle shift). Quando o motorista decide fazer as mudanças manualmente, há um indicativo de seta no painel, caso o carro esteja sendo conduzido em uma marcha inferior da qual precisa. Ou seja, ele te orienta a utilizar a melhor marcha para economizar combustível – assim como acontece com o Citroën DS3 e o Volkswagen Fox BlueMotion. Quando em automático, ele dá alguns leves trancos nas primeiras trocas, mas depois anda mais confortavelmente.

As ruas brasileiras não merecem o Smart. Sua suspensão é rígida demais para vias irregulares e, em qualquer declive, o motorista e passageiro conseguem sentir o balanço. As ruas daqui parecem maltratar o compacto, que é tão delicado.

A visibilidade que ele oferece não é tão maravilhosa quanto a facilidade em estacioná-lo. Os bancos são altos, o que atrapalha um pouco a visão do motorista através do espelho retrovisor. Falando em estacionar, cuidado nas manobras! Devido à sua forte aceleração, é preciso ter cautela quando precisar dar ré ou colocar em primeira, já que algumas vezes ele arranca rápido demais. Por causa de seu tamanho, na Europa e países como os Estados Unidos, certos estabelecimentos têm vagas específicas para carros compactos como o smart.

Apesar de muito pequeno por fora, ele engana positivamente. O espaço interno é ótimo, muito bem aproveitado. Há somente lugar para duas pessoas, mas nenhuma delas fica apertada dentro dele. É possível encontrar diversos compartimentos para guardar objetos e a posição dos bancos deixa os ocupantes confortáveis. É também muito fácil encontrar uma boa posição para dirigir e alcançar todos os comandos.

Como itens de série, a versão Turbo Coupé é equipada com freios ABS, air bags, programa eletrônico de estabilidade (ESP), gerenciamento de força de frenagem e assistente de partida em aclive. Além desses equipamentos de segurança, o compacto oferece também travas e vidros elétricos, alarme, direção elétrica, desembaçador de vidro traseiro e teto solar panorâmico.

Um agrado a mais ao proprietário é a tela touchscreen de 6,5″, que já vem de fábrica. Com transmissão de rádio, o sistema também reproduz CD e MP3, tem entrada para cartão SD, conexão Bluetooth e GPS. Há espaço para DVD, porém este item não funciona no Brasil enquanto o carro está em movimento, respeitando a resolução nº 242 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Desde que o Smart chegou ao Brasil, em 2009, já foram vendidas mais de 4 mil unidades, de acordo com a marca. O modelo, que já está em sua segunda geração, parece despertar a gentileza nos motoristas; não há quem não ofereça passagem ao compacto – seja pelo pequeno espaço que ele ocupa ou para que possam saciar a curiosidade e vê-lo por inteiro.
 

Realizarmos mais um TOP TEST, desta vez o teste foi feito com Renato Fernandes, proprietária do Mini Cooper S.

 

 Nome: Renato Fernandes   Idade: 31 anos

Profissão: Proprietário de uma loja de artigos elétricos  

Carro que possui: Mini S

Carro testado: Smart

Marca: Mercedes-Benz

Modelo: Fortwo 

Motor: 1.6

Ano: 2012

Valor: R$ 68.500

 

Avaliação | Assinale pontuando de 0 à 5 de acordo com sua avaliação:

 

Combustível:    X Gasolina | Etanol | Diesel | Flex

Consumo: 4

Motor: 5

Acústica do motor: 2

Acústica na cabine: 4

Cambio: 0

Suspensão: 0

Espaço Geral: 0    

Do Motorista: 4

Dos Passageiro: 4

Porta Malas: 0 

Conforto: 2

Acessórios: 2

Acabamento: 3

Design: 3

Confiança na marca: 5

Compraria:  Sim | X  Não

Pontos fortes do Carro:

Rápida resposta na aceleração e facilidade ao estacionar

Pontos fracos do Carro:

Valor, suspensão e espaço.

Considerações finais:

Foi uma péssima experiencia, jamais teria esse carro

Pontuação Final: 1.5 |Um ponto e meio

 

Nossa viagem não para, não perca nossa próxima matéria, mais testes, mais histórias, mais você no volante e não esqueça: este espaço é seu, participe através do e-mail: imprensa@portaltopspeed.com.br , e venha avaliar os carros Top Speed, válido apenas para o município de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *